Seguidores

Bem Vindos

Olá amigos do blog, envie suas contribuições para o e-mail sexoliberal2012@gmail.com Fotos, contos, textos,videos, e principalmente sugestões serão bem vindas e apreciadas, com o maior respeito e carinho.
Obrigado a todos que nos visitam veja os posts antigos, pois postamos no minimo 3 vezes ao dia, programamos nossas postagens, para que vocês não fiquem sem novidades.
Caso seja possível votem no top 30 e uma forma de ajudar o blog a crescer. Caso tenha algum item que lhe afete entre em contato que o mesmo será retirado, Na primeira atualização após o ocorrido.

E-MAIL: sexoliberal2012@gmail.com

Visite os posts antigos

Vote no Blog

Caro amigo visitante vote no blog, leva menos de 30 segundos e você estará ajudando o blog a receber mais visitantes. Vamos lá galera é somente um click.

Valeu e não deixe de mandar suas fotos, videos e contos para que possamos publicar.

Amigo visitante e leitor vote no blog

Vote no Blog é menos de 30 segundos e ajude o blog a crescer
Top30 Brasil - Vote neste site!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

DEI PRA ELA DE PRESENTE UM NEGÃO ROLUDO




vez que fui corno, ofereci minha esposa Vera pra um barman dotado. Nessa
noite ela me disse que a partir desse dia ia querer fuder muito com outros caras. Na
verdade isso era tudo o que eu queria faz algum tempo. Daí que eu sempre linguava
muito bem a xoxota de minha esposa antes de fuder ela, e depois a penetrava com
um pénis realístico de 21 cm por 4 cm, com vibrador pra fazer ela gozar.

Lembro que meu nome é João, tenho 40 anos, sou um tipo normal, estatura média,
magro, e louro.

O primeiro homem que me fez de corno foi o barman de um hotel. Ele tinha um pau
do tamanho do vibrador que eu uso nela, mas mais grosso ainda. Eu fiquei louco de
tesão de ver aquele tronco entrando até o saco na bocetinha apertada dela , e mais
louco ainda de ver o pauzão do cara arrombar o cuzinho dela.

Vera, minha segunda mulher, é uma gata. Ela é uma morena gostosa e muito sensual.
Tem 32 anos, longos cabelos escuros, lábios carnudos, olhos marron, 1,66 m, seios
grandes e firmes, e um bumbum pra cara nenhum botar defeito. A gente tá casado faz
seis anos e não temos filhos.

Depois de levar meu primeiro chifre, eu fiquei com muita vontade de ver ela ser fudida
por um negão. Aí tive uma ideia. O aniversário dela esse ano era num sábado. Um
amigo meu me havia falado de uma discoteca africana onde muitas mulheres brancas
safadas iam paquerar os negões que íam lá. E que eles gostavam de brancas e
davam em cima delas também.

Então na véspera do aniversário de Vera, falei pra ela que ia lhe oferecer um presente
especial - uma noite num motel com um negão. Com uma condição, eu ía ficar
assistindo. Ela ficou bem empolgada e falou.

- Nossa, como você adivinhou que depois de transar com aquele barman roludo, eu
comecei a ter fantasia de transar com um negão. Os negões têm fama de roludos.
Esse é o melhor presente que você pode me dar.

- No sábado a gente vai naquele restaurante africano que sua amiga recomendou, e
depois vamo naquela discoteca africana que abriu lá bem perto. Você veste aquele
vestido vermelho bem curto e decotado que eu dei pra você, salto alto, calcinha fio
dental e faz seu charme po negão que você quiser. Aí fala que tá a fim de trepar, mas
que tem uma condição, seu marido chifrudo vai tar vendo tudo. Depois a gente leva o
negão naquele motel que abriu pertinho do shopping. O que você acha?

Ela sorriu e me beijou falando que deixava comigo.

No sábado, pelas 8 horas, Vera acabou de se arrumar. Ela tava linda e gostosona
com aquele vestido.. Negão nenhum ia resistir a ela. Tava parecendo uma piranha
assanhada.

Quando a gente entrou no restaurante, todos os machos que tinha lá, ficaram
babando. Eu pedi champanhe pra comemorar, e depois com o prato de carne a gente
bebeu vinho. Eu queria que ela bebesse um pouco pra ficar bem animada e tesuda.

Pouco antes da meia noite a gente foi na discoteca. Quando Vera tirou o casaco
comprido, vi que um grupo de negões que tavam entrando ficaram olhando o bumbum
dela.

A gente sentou numa mesa e pediu bebidas. Enquanto isso foi entrando mais gente.
Passada uma meia hora a discoteca tava quase lotada. Tinha poucos brancos. Havia
alguns casais de brancas com negões e mulatos, e de negas e mulatas com brancos.
Tinha poucos machos brancos sozinhos, mas muita fêmea branca sozinha. A música
era variada, mas quase tudo ritmos africanos. . Vera me pediu pra gente dançar. Aí
eu falei que era melhor ela dançar sozinha pra escolher seu “presente” e deixar ele
bem à vontade. Ela concordou e se dirigiu na pista.

Eu fui no bar, me encostei na barra, bebendo minha vodka com limão, vendo minha
gata dançar. Ela rebolava muito seu bumbum. Aí uns três negões se aproximaram
dela, e ficaram dançando bem pertinho e olhando ela com safadeza. Pouco depois a
música mudou. De um ritmo frenético passou pra uma balada romântica e bem lenta.
Se formaram vários pares na pista. Vera tava indo embora, mas aí um dos negões
pegou no braço dela, falou qualquer coisa pra ela no ouvido, ela sorriu, e logo depois
os dois começaram a dançar bem juntinhos.

O negão era alto, mais de 1,80 m, bombado, e parecia ter uns 30 anos. Ele usava
uma camiseta cinza com listas brancas, bem colada no corpo que evidenciava seus
peitorais salientes e seus bicepes tatuados. A calça era branca e tão justa que
evidenciava suas supercoxas e seu pau que parecia bem grosso e cabeçudo.

Enquanto os dois dançavam me subiu um tesão danado de pensar que minha vadia
tava sentindo aquele pau roçar na bocetinha.

Pouco depois vi que o negão safado tinha sua mão no bumbum de minha mulher
e falava no ouvido dela fazendo ela rir muito inclinando seu pescoço num jeito bem
oferecido que eu conheço bem.

Então a música mudou de novo e os dois foram embora da pista de dança, ela dando
a mão pra ele como se fossem dois namorados. Me senti o maior corno do mundo e
meu pauzinho ficou mais duro ainda.

Vi eles subirem a escada pra galeria e discretamente segui os dois. Lá em cima tinha
outro bar e uma zona mais escura, que dava acesso a uma cobertura. Eles foram para
essa zona e vi o negão levar ela pra trás de um pilar. Ele encostou ela na parede,
alisou a rola, e lhe deu um beijo de lingua, Ela fechou os olhos se entregando ao cara.
O safado foi logo botando as mãos no bumbum dela.

Depois de uns quinze minutos de beijos e amassos, eles foram embora. Quando ele
se afastou do corpo de Vera, vi um mega volume na calça branca dele. O cabra
devia ter um pauzão. O cacetão devia tar duríssimo pois parecia que a calça dele ia
rebentar.

Os dois ficaram conversando junto á escada e percebi que Vera devia tar contando
pra ele que era casada, pois vi ela mostrar a aliança pra ele, e ele olhar ela com olhos
de espanto. Depois ele riu e os dois foram desceram. Segui eles, e percebi que Vera

tava me procurando. Então ganhei coragem e fui junto deles. Vera me apresentou
pro negão que se chamava Wilson, e depois falou que tinha de ir no banheiro se
refrescar, e deixou a gente. O negão tava meio sem jeito, e aí eu falei pra ele relaxar,
pois tudo que eu queria era ver ele fuder minha mulher. Falei meu pau era bem
pequeno, e que tinha gosto em que minha mulher tivesse prazer com caras roludos
que nem ele. Depois perguntei se ele tinha problema de fuder Vera na minha frente.
Ele riu e falou que não. Que minha mulher era muito gata, e que tava louco pra fuder
ela. Ai eu falei que a gente podia ir num motel ali bem perto.

Wilson falou que tudo bem, só tinha de avisar os amigos. Então eu combinei a gente
se encontrar na porta da discoteca daí a dez minutos. Vera entretanto chegou e nós
dois saímos. Pouco depois o negão veio ter com a gente. Fomos pra nosso carro.
Falei pros dois irem atrás e eu de motorista. Vera não perdeu tempo, pelo espelho
vi ela acariciando o pau do negão. Depois os dois se beijaram e ela foi logo abrindo
o zipper da calça dele. Aí a jeba se soltou. Nossa que caralho grosso. Era maior e
mais grosso que o do barman. Devia ter uns 23 cms. por 6, e tava em ponto de bala.
Vera fascinada com aquele mastro escuro que nem carvão segurou ele e começou a
punhetar

Meu pau ficou duro na hora. Vera atordoada com o tamanho daquele cacete
acariciava ele da cabeça até o saco, apertando muito ele. Então Wilson falou algo
no ouvido dela. Vera o olhou sorrindo e logo botou a boca no cacetão do rapaz.
Ela lambia, chupava e sugava com força. Caprichou tanto na chupeta que o negão
começou a roncar muito e pouco depois gozou na boca dela. A vadia me surpreendeu,
engolindo toda a porra do negão, que era muita. Quando chegámos no motel ela
ainda limpava com um lencinho os leites do negão que continuavam escorrendo de
seus lábios.

O rececionista nos deu a chave da suite, e recebeu o pagamento, percebendo que eu
era corno e tava oferecendo minha mulher pr´aquele negão.

Quando chegámos no quarto, Vera foi no banheiro e o negão foi junto com ela.
Enquanto isso eu me despi e sentei num sofá que coloquei bem junto da cama
redonda.

Pouco depois eles saíram do banheiro com suas roupas na mão. Os dois tavam
pelados Vi que o negão além de um mastro enorme tinha também um sacão bem
volumoso, negro e peludo. Percebi que os dois tinham tomado ducha. A rola dele tava
meia bomba. Então ele me vendo pelado olhou meu pintinho e falou:

- Nossa, quando você falou que seu pinto era pequeno não pensei que fosse tão
pequeno. Agora eu entendo que os dois tenham me procurado. Aí falei:

- È essa é a principal razão de eu gostar de ser corno.. mas não é só não.

Aí o negão falou:

- Pode deixar que eu vou fuder muito bem sua esposa. Ela não vai reclamar não.

Depois de falar isso ele pegou minha mulher no colo, deitou ela na cama, abriu as
pernas dela, enfiou a cabeça no meio e botou sua linguona enorme na bocetinha dela.

A safada sentindo aquela linguona fudendo ela começou a gemer muito.

- Ai….aaaaaiiiiiiii… que delicia…..issooooo….faz assimmmm….aiii…que gostoso….

Então ele começou a linguar também no cuzinho dela fazendo a safada gemer
ainda mais alto. Ele abria bem as nádegas dela com suas mãos enormes e botava a
linguona bem fundo.

Pouco depois ele sentou junto dos peitos dela, com as coxonas dele apertando a
cintura dela, e botou a picona bem entre as mamas dela, apertando elas. Seu pauzão
ficou duríssimo. A cabeçona do cacetão chegava na boca dela e ele fazia ela entrar e
sair da boca de Vera, enquanto falava:

- Isso chupa gostoso…gosta de meu pau, né ? Issoooo….que chupada boa…

Ela fechava os olhos e mamava o dominador com muito tesão. Aí ele falou:

- Agora chega de boquete. Mostra pra mim esse cuzinho lindo e gostoso. Tou louco
pra enrabar você… Isso mostra essa bunda … que loucura. Quer que eu bote meu
pau em seu cuzinho? Fala…quer?

- Ai … não sei… esse pau me dá medo…eu sou quase virgem no cuzinho. Um pau
desse tamanho vai causar muito estrago. Vai doer muito. – ela falou assustada.

- Não tem medo não. Eu vou ter cuidado. Vai ver que vai gostar. Eu vou devagar…
sem pressa… pode deixar que vou ser muito carinhoso com você.

- Se prometer que vai ser gentil e cuidadoso eu vou querer sim. – ela falou.

- Prometo delicia. Você não vai se arrepender. Vai até pedir mais.

Falando isso ele chegou o pau bem perto da boca dela. A safada chupou a cabeçona
e depois lambeu o saco grandão dele. E toda dengosa falou:

- Ai que saco gostoso … é bem grande …aiiii… gostosoooo….

- Gosta de meu saco né? … agora bota meu caralho na boquinha .. vai delicia – ele
falou.

Aí ele agarrou ela pelos cabelos, botou o pauzão na boca dela e começou a fuder ela
na boca. Pouco depois falou:

- Agora quero arregaçar essa xota gostosa. Abra as pernas. Mostre sua xota pa seu
negão.

Ela fez o que ele mandou, e logo o safado caiu de boca na xoxotinha dela. Depois
cuspiu no pau e começou a esfregar ele na bocetinha dela. A vadia tava louca pra
levar vara, e toda dengosa pediu pra ele fuder ela.

Enquanto isso, ele falava baixinho que ía socar o rolão primeiro na bucetinha e depois
em seu cuzinho branco e macio. Vera se contorcendo de tesão gemia o nome dele,
pedindo pra ele botar logo o pau dentro dela.

Então ele se colocou no meio das pernas dela, pegou na jamanta escura e botou a
cabeçona na entrada da bucetinha.

- Ai… issooo… aiii….loucura….mete mais seu safado…- ela gemia.

Ele botou mais um pouco e ela gritou. Depois colou seu corpo no dela, na posição
papai mamãe, e botou o pauzão até o saco, e começou num mete e tira lento e
gostoso. Vera começou a gritar muito de prazer que lhe dava sentir aquela verga
imensa dentro dela e aí ele começou a estocar que nem um animal..

O negão roludo metia muito e com muita força. O sacão dele batia na bunda de Vera
e ela gemia e gritava que nem essas putas de filme pornô, falando sacanagem, feliz
de sentir o caralhão negro indo e vindo em sua bucetinha branca. De ver minha mulher
assim oferecida pra aquele negão caralhudo e sacudo eu tava quase largando meus
leites .

- Ai…Aiiiiii ….seu negão vira-lata… fode sua cadela … aiii… que foda gostosa…
me arromba toda… ai … isso… garanhão… me arromba com esse pau grosso
…issooooo… maissss…..

O negão bombava que nem um touro e dava pra ver que tava a ponto de largar sua
porra.

- Nossa … que buceta apertada e quente, caralho… que deliciaaa… gostosa
demaissss …acho que vou gozar nessa xota… agh…agggrrrr….issssooooo…..

Aí vi que um fio de porra tava saindo da bucetinha de Vera. O negão tinha gozado
nela. Ele a beijou na boca e os dois ficaram nos amassos uns dez minutos. Depois ele
tirou o pau meia bala de dentro dela, e aí uma torrente de porra saiu sujando a coberta
da cama.

Vera pegou o pau dele e botou na boca fazendo pra ele uma chupeta gostosa. Não
aguentando mais eu gozei também.

- Nossa… caraca… tá gozando de ver sua vadia fazendo boquete pra mim ? – ele
falou rindo.

Sem falar nada fui no banheiro me lavar. Quando voltei no quarto vi Vera de quatro,
virando a bunda pro negão. Aí ele botou a língua no cuzinho dela e ela começou a
falar baixinho.

- Ai.. que delicia … seu tarado… ai… que gostosooo….isso faz assim….

O negão botava sua linguona bem fundo no cuzinho dela e a vadia se contorcia de
tesão. Depois ele foi enfiando um dedão e começou a fuder o cuzinho dela. Minha
putinha nem reclamou. Pelo contrário, ela gemia de prazer.

- Nossa… adoro comer uma bundinha assim branquinha e gostosa que nem a
sua..Vou fuder esse cuzinho muito gostoso. – ele falou.

Aí ele se colocou por trás dela, agarrou ela pela cintura e apontou o pau no
buraquinho apertado. Vendo isso corri pra bolsa dela e procurei o gel falando pra ele
esperar. Quando encontrei dei o tubo de gel pra ele.

O cabra sorriu pra mim e falou pra eu botar gel na pica dele e no cuzinho dela.

Fiz o que ele mandou, primeiro no pauzão. Na verdade eu tinha vontade de sentir um
pau grande que nem aquele em minha mão. Era a primeira vez que pegava um pau
que não era meu e gostei. Era duro e macio. Enquanto eu botava o gel nele, o safado
falou:

- Tá gostando? Parece que além de corno você tá virando viado.

Vera me olhou sorrindo, mas não falou nada. Aí eu botei muito gel na bunda dela e
depois a beijei.

O negão encostou o pau na bunda dela e esfregou muito na entrada. O cuzinho dela
piscava de vontade.

- Nossa, seu cu tá molhadinho..gostosa…doido pra levar vara. – ele falou.

Depois continuou a esfregar a rola bem no meio de suas nádegas a apertando pela
cintura. Pouco depois com as duas mãos afastou as nádegas dela e foi logo metendo
a cabeçorra. Vendo que ela não se queixava botou mais um pouco.

Aí Vera gritou pedindo pra ele parar.

- Calma delicia… eu paro… assim …tá bom pra você?

Ela falou que sim, e respirou fundo. Tinha lágrimas correndo na face dela, que eu
limpei com um lencinho de papel. Pouco depois ele botou mais um pouco. Ela gritou
de novo e tentou se afastar mas o comedor não deixou, segurando ela com força pela
cintura. Ele tinha uma pegada bem forte.

- Calma… não tira não, delicia … logo seu cuzinho vai se acostumar com meu
pau…issooo…tá vendo … - o negão falou bem carinhoso com ela.

Ela se acalmou. Vendo isso ele me falou pra eu segurar ela. Fiz o que ele mandou, e o
cabra foi botando devagar até o pau ficar todinho na bunda dela.

Vera suspirou, mas não reclamou. Percebi que seu cuzinho tava se acostumando com
o volume daquele pau. Ai ele começou fuder ela. No inicio devagar ate o cu acostumar
mais e depois estocando forte fazendo o sacão bater na bunda dela.

Logo logo, ele já estava socando com vontade, dando tapas em sua bunda, ,puxando
seus cabelos,e ela gemendo de prazer, batendo com a bunda nas bolas dele. O
comedor ,socava com gosto e com força, e eu segurava ela e acariciava seu rosto. Ela
falava: .

- Mete tudinho que é pro meu maridinho ver você comendo bem gostoso minha bunda
… mete seu negro gostoso… isso…ai …que pegada… aiiiii….que maravilha sentir
esse pau grosso na bunda…aiii….

Depois de alguns minutos a enrabando ,ele anunciou que iria gozar, tirou o pau de
dentro do cu dela e soltou dois jatos de porra nas costas dela. Depois fez ela virar de
ladinho e meteu o pau na buceta dela uns 5 minutos. Vera se contorceu de prazer,
começou a gemer muito, e gozou chamando o negão de … meu amor.

Depois ficaram os dois exaustos na cama de olhos fechados, curtindo os ultimos
espasmos de seu gozo . E eu com muito tesão de ver os dois, gozei também.

Pouco depois, Wilson foi no banheiro, e eu falei pra Vera que tava na hora de ir
embora, mas a safada falou que queria mais, que tava adorando ser fodida por aquele
negão roludo e ver minha cara de tesão vendo o prazer dela.

Wilson veio no quarto e falou que tava tarde, que precisava ir embora, vestiu a cueca
dele e pegou suas roupas. Aí Vera levantou foi junto dele, e o beijou acariciando suas
coxas fortes e seus abdominais definidos…falando pra ele ficar só mais um pouco.
Aí vi que o volume na cueca dele tava ficando maior. Nesse momento percebi que

o rolão tava saindo pela abertura central da cueca. Vera vendo isso pegou na rola e
acariciou ela muito. Depois sem falar nada, caíu de joelhos e mamou a cabeçona por
entre a abertura da cueca. Aí Wilson falou:

- Que safada …ficou viciada no meu pau ? Nossa… eu falei que preciso ir embora…
não faz isso…

Mas o pau endureceu e engrossou rapidinho na boca dela e o rapaz desistiu de ir
embora. Então ele jogou ela na cama, se deitou por cima dela, encostou o pau na sua
bocetinha e novamente foi enfiando seu pau todinho nela. Ela não conseguia parar de
gemer, rebolar e falar, nossa que delicia meu amor mete gostoso mete.

Que cena maravilhosa aquele pau negro, grande e grosso entrando e saindo na
boceta de minha mulher.

Depois de uns minutos ele começou a bombar e ela chamando ele de meu bem… de
meu macho… de amor, e ele a chamando de sua puta gostosa.

Ele parecia um cavalo fodendo sua égua, urrando de tesão, e … pouco depois soltou
sua porra dentro dela. Percebi que Vera tava gozando também.

- Ai …negão safado… tou gozando … aaaaiiiii… isso… sim … aiiiiii….aiiiiiiii……..

Pouco depois ele tirou fora, e seus leites ficaram saindo da xota de minha mulher. O
safado maludo tinha ainda muita porra saindo do pau apesar de tar gozando pela
terceira vez, Vera vendo isso, botou a boca no pau dele e sorveu os restos.

Depois Wilson se vestiu e falou que eram quase 6 da manhã e precisava ir embora. A
gente trocou número de celular, e eu falei que tava cansado que a gente ía ficar mais
um pouco e pra ele chamar um táxi na receção que eu pagava. Ele falou que tudo
bem e saiu dizendo que quando a gente quisesse outra curtição dessas podia dar uma
ligada pra ele. Depois beijou Vera e foi embora.

Vendo minha mulher na cama, pelada, de boceta vermelhona de arrombada e
melada, me deu uma vontade de lamber ela e sorver os fluidos dela e do negão. Abri
suas pernas e lambi muito, deliciado com o sabor da xoxotinha dela, enquanto batia
uma bronha gostosa. Ela começou a gemer muito falando:

- Ai meu corno…. iiiissssoooo… tá ficando gostoso…. Aiiii…. Safado… mete mais….
Tá gostando do sabor da porra do macho que comeu muito eu? … aiiiii…. Maissss…

Ela gozou de novo em minha boca e eu sentindo seu gozo soltei minha porra que
esguichou nas pernas dela. Que delicia.

Depois a gente dormiu. Eu tava muito feliz de ter dado de presente pra minha Vera
aquele macho negão que fez ela gozar muito. E ela me falou que foi o melhor presente
que alguma vez eu podia dar pra ela.

João e Vera - Portugal

8 comentários:

  1. adoraria ter a honra de conhecer vcs sou do rj tenho 31 anos faz contato 78109965 ou 84709579 robson

    ResponderExcluir
  2. liga para que possamos nos conhecer eu juntamente com minha esposa sou de niteroi rj tel 95652552

    ResponderExcluir
  3. me add no face laryssa samagaio quero participar dessas putarias

    ResponderExcluir
  4. samos casal liberal 46/42 praticantes do ménage masculino a 23 anos. ex.frequentadores de casas de swing em moema,engma,nifertitti,casa branca,atualmente preferimos fazer nossas festinhas particular..so relacionamos com homens,negros,alto,malhado,com dot.e acima de 22 cm e q tenham experiencias com casais.fotos de rosto e corpo inteiro sao indispensavel.favor enviar para nosso email. sabrinadelicia-icaro@hotmail.com. meu cel. (011) 9 67604202 oi *por favor so entram em contatos homens q se enquadram no perfil e nas exigencies espoxtas.vamos ganhar tempo..bjs

    ResponderExcluir
  5. quero um negao roludo de londrina pr

    ResponderExcluir
  6. quero um negao roludo de londrina pr

    ResponderExcluir
  7. quero fuder essa puta com forsa 03198175999

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...